Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança é um órgão da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) da Prefeitura de Porto Alegre que articula as políticas públicas de dança na capital gaúcha. Atua na preservação da memória, no fomento à produção, na formação de público, difusão e acesso às informações da dança. Desenvolve atividades artístico-pedagógicas e promove relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na cidade de Porto Alegre.

24 de setembro de 2020

Destaque em Ballet Clássico - Açorianos 2019

Estamos chegando às últimas postagens da série com as trajetórias das indicadas e indicados ao Prêmio Açorianos 2019 e hoje saberemos mais sobre as indicações a Destaque em Ballet Clássico no Prêmio Açorianos de Dança 2019. 

Começamos lembrando as indicações com as considerações feitas pela juradas Aline Rosa e Tatiana Mielczarski e pelo jurado Escobar Júnior.
  • A B C Dança Festival Infantil – criado e organizado pela profª. Samanta Bueno Medina – por proporcionar uma experiência com o Ballet Clássico desenvolvida e pensada para as crianças, que respeita o tempo de cada pequena aprendiz, de forma lúdica e por proporcionar um espaço para as escolas apresentarem seus trabalhos recebendo uma avaliação que visa aprimorar e conscientizar os educadores em sua prática.
  • Dançar é arte - da Ong Renascer da Esperança Restinga – por oportunizar a inclusão social e promover o acesso à cultura através da dança.
  • Festival Internacional de Dança de Porto Alegre - organizado e realizado pelo Ballet Vera Bublitz - por promover e incentivar o intercâmbio da produção sul-americana em Dança Clássica e Contemporânea, por meio de apresentações, cursos, vivências e concessões de bolsas de estudo para bailarinas e bailarinos em destaque.
  • Gala Ballet 2019 – criado e organizado por Cris Fragoso – por valorizar e promover a linguagem do Ballet Clássico reunindo escolas e grupos que trabalham com esta modalidade e também por apresentar importantes personalidades do Ballet que escreveram a história desta arte em nossa Cidade e Estado aos jovens estudantes e artistas . 
  • Gisele Meinhardt – pelo trabalho como professora desenvolvido com bailarinos de diversas idades e níveis, mantendo-se fiel a metodologia Vaganova.

foto Claudio Etges

A B C Dança Festival Infantil


ABC Dança Festival Infantil é um projeto desenvolvido para ser um espaço de acolhimento às crianças e profissionais da dança para aperfeiçoamento e aprendizado. Com o intuito de unir o lado positivo das mostras, onde há a oportunidade de apresentação sem pressão competitiva para as crianças, e o lado positivo dos festivais, a avaliação e troca de experiências profissionais, nasceu este evento que visa principalmente ser uma oportunidade para jovens bailarinos experienciarem o palco de forma divertida, onde seu tempo e desenvolvimento são respeitados e, ainda assim, gerar ao professor/coreógrafo a oportunidade de observação e avaliação de um profissional de qualidade. O evento ocorre anualmente em julho, no Teatro CIEE desde 2016. 

O projeto - idealizado por Samanta Medina e a realizado pelo Ballet de Base - recebeu também indicação ao Destaque em Ballet por “proporcionar uma experiência com o Ballet Clássico desenvolvida e pensada para as crianças, que respeita o tempo de cada pequena aprendiz, de forma lúdica e por proporcionar um espaço para as escolas apresentarem seus trabalhos recebendo uma avaliação que visa aprimorar e conscientizar os educadores em sua prática.” 


Dançar é arte - da Ong Renascer da Esperança Restinga

O projeto “Dançar é Arte” está implementado dentro da ONG Renascer da Esperança situada no bairro Restinga Nova. A instituição exerce trabalhos na Educação infantil e também no turno inverso da escola, onde atende crianças e adolescentes de 06 a 17 anos, proporcionando atividades pedagógicas, recreativas e alimentações. Sob a Direção de Rozeli da Silva, coordenação, e aulas de dança com Daniel Santo, o projeto completa este ano 3 anos de trabalho, e tem como base as Danças urbanas, mas também atividades nas modalidades de ballet clássico e dança contemporânea, para assim, ter uma melhor performance nas apresentações. O grupo tem marcado presença em eventos bastante significativos de Porto alegre, como a Mostra de Dança Verão, o ABC Dança e o Sul em Dança. Nosso objetivo é proporcionar aos bailarinos vivências e oportunidades no meio cultural. Não é somente dança e, sim, contribuir para o crescimento de cada criança como cidadão e como artista.


Festival Internacional de Dança de Porto Alegre 


O Festival Internacional de Dança de Porto Alegre - FIDPOA é um evento promovido pelo Ballet Vera Bublitz e nasce da vontade de estimular o intercâmbio de talentos sul-americanos no cenário da dança clássica e contemporânea com o mercado internacional e de abrir portas para bailarinos, coreógrafos e professores locais dando visibilidade e qualificando a dança de forma global. Com o grande objetivo de promover a excelência no desenvolvimento da arte da dança no estado do Rio Grande do Sul, proporcionando um evento que pode ser apreciado por todos, participantes e público, bailarinos e apreciadores, o FIDPOA. 


Gala Ballet 2019


Idealizado por Cris Fragoso, Diretora-Geral do evento, e com o objetivo de estimular o desenvolvimento do ballet no estado do Rio Grande do Sul, em seus doze anos de trajetória, o GALA BALLET reuniu em seu palco um total de 48 grupos, aproximadamente 900 bailarinos provenientes de doze cidades gaúchas. O evento também trouxe ao público local a oportunidade de compartilhar conhecimento com renomadas figuras do mundo da dança, como: Cecilia Kerche, Nora Esteves, Eleusa Lourenzoni, Jorge Teixeira, entre outros. Somos muito orgulhosos da nossa trajetória até aqui! Este ano, continuamos fiéis ao compromisso de compreender o ballet de forma genuína e artística, portanto propusemos uma edição online do evento. O Gala Ballet 2020 será disponibilizado virtualmente para o nosso público no dia 22 de agosto, com entrevistas de convidados do Brasil e do mundo sobre o futuro do ballet pós pandemia."

Giséle Meinhardt 


Giséle Meinhardt é professora, coreógrafa, repositora de ballet clássico e graduada em Dança na ULBRA. Atualmente, está em formação no Método A. Vaganova pertencente ao Instituto Escola do Teatro Bolshoi no Brasil. Foi orientada por mestres conhecidos nacional e internacionalmente, que contribuíram para sua trajetória.

23 de setembro de 2020

Chromos - Indicações ao Açorianos 2019

Nesta quarta vamos saber mais sobre as 7 indicações do espetáculo CHROMOS ao Prêmio Açorianos de Dança de 2019. Além da indicação para Melhor Espetáculo e para o bailarino Willian Dipe Anga, o espetáculo recebeu ainda as indicações para Direção, Coreografia, Cenografia, Iluminação e Figurino, todos criados por Gustavo Silva.



Chromos - Melhor Espetáculo

O espetáculo da New School Dreams conta a história da nave Chromos e o possível resgate dos sobreviventes ao fim da era Iluminus. Houve sobreviventes? a nave Chromos vai sair em busca da resposta.


Gustavo Silva - Melhor Direção, Coreografia, Cenografia, Iluminação e Figurino

Gustavo Silva, bailarino e coreógrafo, é fundador, diretor e coreógrafo da Cia e escola New School Dreams. Possui em sua formação diversas linguagens da dança, como dança de rua, jazz, ballet clássico e contemporâneo. Estuda as técnicas de locking, popping, street jazz e new style. Foi integrante da Seleção Brasileira de Hip-Hop e do Grupo Batida de Rua. Possui inúmeras premiações em festivais de dança, como: Melhor coreografia, melhor direção, melhor coreógrafo, Destaque para melhor bailarino premiado em 7 festivais consecutivos com o solo "Adios". Seu grupo é o primeiro e único do RS a ganhar o Festival Internacional de Hip-Hop. Bailarino convidado do palco Street Dance do Rock In Rio em 2013. Em 2014 participa do Festival de Dança de Joinville pela primeira vez e é premiado com o segundo lugar na categoria Danças Urbanas, com a coreografia “Retrógrado”. Vencedor do Prêmio Açorianos de Dança 2014 nas categorias Espetáculo, Coreografia, Direção, Cenografia e Destaque em Danças Urbanas com o espetáculo “Retrógrado em 6D”. E em 2016 com o espetáculo Iluminus nas categorias: espetáculo, coreografia, iluminação, direção. Em outubro de 2016, estreou o espetáculo “Iluminus”, projeto financiado pelo FUMPROARTE que alcançou em sua primeira temporada um público de aproximadamente 1500 pessoas. 


Willian Dipe Anga - Melhor Bailarino

Willian Dipe Anga (@williandipe) é estudante de educação física e bailarino. Atua na dança desde 2010 na CIA – New School Dreams, onde participou de diversos trabalhos importantes, como Rock in rio, Festival de dança de Curitiba, Festival de Dança Joinville, Espetáculo Chromos, Espetáculo Retrógrado 6D, Espetáculo Iluminus – estes últimos dois premiados pelo Açorianos.


22 de setembro de 2020

Destaque em Novas Mídias - Açorianos 2019

A postagem de hoje da série com as trajetórias das indicadas e indicados ao Prêmio Açorianos de Dança 2019 é sobre a categoria Destaque em Novas Mídias. E como são vídeos, vai dar prá ter uma palhinha de cada um dos indicados nos links anexos. Dá uma olhadinha e vai entrando no clima prá cerimônia virtual de premiação no dia 27, pelo facebook.

Vejam aqui as indicações com as considerações feitas pela jurada Amanda Gatti e o jurado Claiton Mossman:
  • Contágio – do Coletivo Opsis - pela qualidade e criatividade no desenvolvimento da narrativa, usando elementos do audiovisual de uma maneira inteligente e artística, na qual a coreografia tem papel fundamental.
  • Cross-cap – de Lícia Arosteguy - pela excelência na articulação dos elementos de audiovisual e dança: produção, coreografia, direção de arte, fotografia e trilha sonora original. Pelo diálogo instigante entre o movimento do corpo e do cenário.
  • Depois em voz alta – de Anne Plein e Caroline Turchiello – pela escolha do poema como construtor da narrativa coreográfica tratando de forma sensível e artística a temática.
  • Home – do grupo K-Klass – do pela qualidade na utilização dos elementos técnicos, onde destacamos as interferências digitais como elementos que contribuíram para uma criação pop, empolgante e alegre.

Prá quem quiser saber um pouquinho mais sobre cada indicação, tem pequenas sinopses e os links:


foto Gustavo Riboriski

Contágio

Em um dia comum uma estudante é atacada por uma pessoa misteriosa, o que faz com que ela seja contagiada por um vírus e iniciada em uma seita onde todos são viciados em dançar. Contágio está atrelada a questões de ansiedade e de como isso reverbera na mente e no corpo. Representada por um vírus, demonstra o cotidiano de alguém que de repente se vê em situações de euforia, palpitação e tremedeira. A dança entra como uma válvula de escape, um mundo distante do real.

Veja aqui o vídeo:


Foto João Mattos

Cross-cap 

A autointersecção de uma superfície de um só lado. Cross-cap explora a idéia de estruturas impossíveis, inspiradas em M.C. Escher, criando composições com corpos e espaços abandonados e explorando uma edição coreográfica de tempo não linear. Brincamos com os limites de dentro/fora, adiante/reverso, presente/passado, indivíduo/múltiplo, o eu/o outro.

Veja aqui um teaser do vídeo: 
(a versão completa ainda não está disponível, pois ele ainda está percorrendo o circuito de festivais)


Depois em voz alta

O projeto tem como intuito produzir um resultado estético dialogando com as linguagens de videodança, design e coreografia com o tema LGBTQIAP+. Para isso, reuniram-se dois projetos artísticos independentes o Naveg_Se - Coletivo Videodançante e o Diz o Nome Dela, em parceria com Cabana Arquitetura Design no seu projeto Molusca - movimento criativo. O Videodança recebe o nome de uma coreografia apresentada em 2018, no evento Ginga - mostra do curso de Licenciatura em Dança da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. A proposta surge da iniciativa cultural Diz o nome Dela, o qual reúne poemas com a temática LGBTQIAP+ e ilustrações de três artistas locais - que tem como temática a visibilidade de amores lésbicos e (dê)mais amores possíveis. O trabalho procura difundir e promover a formação de público em dança, portanto da arte e da cultura, apontando caminhos para valorização do campo em relação multidisciplinar com outras áreas, além da produção de conteúdo artístico. Esta ação é um ato ético, político e sustentável frente à sociedade, pois busca produzir um resultado estético que tenha impacto na comunidade de artistas, pesquisadores e estudantes em arte e tecnologia, na comunidade LGBTQIAP+ e na rede da Cabana Arquitetura Design.

Veja aqui o vídeo:

Home

Idealizado por Gabriela Maki, o K-KLASS é um grupo que reúne bailarinos que estudam danças urbanas e coreografias de K-Pop. A partir de 2019, segundo ano de trabalho com o grupo, foram criadas coreografias autorais para músicas de K-Pop que os bailarinos gostariam de dançar. Mostrando o repertório de dança trabalhado nas aulas do grupo e a estética visual dos artistas musicais sul-coreanos, HOME é a primeira vídeo-dança realizada pelo grupo.

Veja aqui o vídeo:
https://www.youtube.com/watch?v=fCAo20J3zEY&feature=youtu.be

21 de setembro de 2020

Destaque em Danças Urbanas - Açorianos 2019

Neste domingo, 27 de setembro, às 19h estaremos transmitindo pelo facebook a Cerimônia Virtual de Premiação do Prêmio Açorianos de Dança 2019.

Enquanto o dia não chega, continuamos postando as trajetórias das indicadas e indicados e hoje saberemos um pouco mais sobre as indicações a Destaque em Danças Urbanas. 

Como sempre, começamos com as considerações feitas pelos jurados Marco Chagas e Wellington Borges:

Destaque em Danças Urbanas:
  • Leleo (Leonardo Meirelles) – Pelo trabalho artístico desenvolvido nas Danças Urbanas e pelo destaque em batalhas de Hip Hop freestyle mesclando as Danças Urbanas e as danças de matriz africana.
  • Syl Rodrigues – Pela excelência na direção artística da Flashblack Cia de Dança criada em 2019 com jovens negros da periferia e pela pesquisa que desenvolve tanto nas Danças Urbanas quanto na práxis do Jazz Funk.
  • Underground Queen – Pela pesquisa em Danças Urbanas que intercruza as danças de matriz africana, pela promoção de eventos gratuitos fomentando as Danças Urbanas ao ar livre em Porto Alegre e pela representação artística da cidade em eventos que fomentam a cultura Hip Hop.

Veja mais aqui embaixo:

foto Nathália Lazzarin

Leleo (Leonardo Meirelles)

Em 2010, Leonardo Meirelles iniciou suas práticas em aulas regulares de dança (Street Dance e Jazz) na ONG Núcleo Comunitário e Cultura Belém. Continuou os estudos com o Breaking no Grupo Restinga Crew, onde vivenciou as batalhas de HipHop Dance. Já em 2013, ingressou como bailarino no Grupo New School Dreams, se aprimorando nas técnicas de Dança Contemporânea, Sapateado, Locking, Popping, House Dance e Danças Folclóricas Africanas.
No fim de 2014, teve o primeiro contato com o Afrohouse Moderno, fora do grupo, que hoje compõe grande parte da sua formação artística e que, também, foi importante para desenvolver o Coletivo Underground Queen (2017). Recentemente, começou a integrar o grupo OAK Legacy, que tem propósito de levar a cultura Kuduro/Afrohouse para o mundo, conduzindo por Konsept. Em paralelo, Leonardo ministra aulas regulares, assim como workshops e trabalhos coreográficos.


foto Michelle Riella


Syl Rodrigues

Graduanda do curso de Licenciatura em Dança na UERGS, Diretora Artística da Cia Flash Black e Professora e Educadora Social na Fundação de Educação e Cultura do Sport Clube Internacional. Sua formação em dança integra aulas no Grupo experimental de Dança de Porto Alegre, no Estúdio de Dança Carol Dalmolin e na New school Dreams, além de oficinas e workshops de Jazz Funk, Stiletto,Waacking, Vogue, dança Afro, Afro House, Funk,Zouk, Hip Hop Dance e Bachata.

Atualmente ministra aulas online de Jazz Funk(Um corpo performático e pulsante , que através do movimento inspira, alegra e contagia. Sua influência para criação e processo coreográfico parte das danças AFRO-DIASPÓRICAS, utilizando passos de Hip Hop Dance e Jazz Dance potencializando a AUTENTICIDADE dos bailarines. Uma dança Includente e sem nenhum recorte de gênero, por Syl Rodrigues).


Underground Queen

Em 2016, Leonardo Meirelles criou uma coreografia com o intuito de valorizar o papel da mulher negra na cultura Hip Hop, com seis bailarinas. Surgiu dali a necessidade de continuar com o trabalho de forma mais aprofundada com elenco 100% negro, contemplando a individualidade de cada bailarina enquanto pessoas negras com histórias diversas, tornando-se um coletivo. Os trabalhos desenvolvidos chamaram a atenção de festas com um público majoritariamente universitário, com públicos jovens e negros, e manifestações culturais da região de Porto Alegre, como O Bronx e Manifesto Rafael Braga. 

O grupo começou a desenvolver seus próprios eventos, como o Projeto Queens, ao som de Afro Rep de Ricon Sapiência. O vídeo mostra diversas bailarinas negras do Rio Grande do Sul. No mês da consciência negra, o grupo foi convidado para dar aula, falar um pouco mais sobre estudos de negritude e danças em eventos, escolas e espaço os artísticos. 

No ano de 2019, o coletivo colocou o seu primeiro trabalho independente em uma competição de dança, levando o terceiro lugar como melhor grupo da América Latina no MDA Summer Class. Deixaram de ensaiar nas ruas e conquistaram espaço na Casa de Cultura Mário Quintana colocando seus estudos em prática, compartilhando seus conhecimentos através das aulas de Hip Hop. No Festival de Talentos, promovido pelo coletivo O Bronx, conquistaram o primeiro lugar da competição entre slammers, bailarinos e cantores.

Parabólica da Dança – Dicas semanais de dança para período de isolamento - Edição de 21 de Setembro

O Centro de Dança da Secretaria Municipal da Cultura divulga hoje mais uma edição do Parabólica da Dança (21 de setembro) uma ação de divulgação que reúne dicas semanais de cursos, aulas, lives e/ou conteúdos virtuais de dança para se envolver em casa, durante o período de isolamento social.

Interessades em divulgar suas programações enviem as informações da atividade para o e-mail dancasmc@gmail.com. O boletim é divulgado todas as segundas-feiras para o mailing, no blog e nas redes sociais do Centro de Dança.


 Dicas da Semana – Edição 21 de setembro


Cerimônia Virtual de Premiação do Açorianos de Dança 2019 - Centro de Dança

Dia 27 de setembro (domingo), às 19h, serão conhecidos os vencedores do Prêmio Açorianos de Dança 2019 em uma cerimônia virtual que será transmitida pela página do Facebook do Centro de Dança. Conheça a lista completa dos indicados e/ou veja todas as informações na divulgação oficial.


Palestras online sobre Dança e Pilates e suas interfaces com a Saúde - GRACE

O Grupo de Estudos em Arte, Corpo e Educação (GRACE), coordenado pela professora Dra. Aline Nogueira Haas, organizou palestras a serem apresentadas uma vez por mês, sempre as quartas-feiras às 20h30min pelo canal do YouTube do PPGCMH-UFRGS. Gratuito e aberto ao público em geral. 

Programação

30 de setembro:
Tema: Dança e Saúde 
Palestrante: Profa. Aline Haas
Mediadora: Me. Marcela Delabary

28 de outubro:
Tema: Dança e Parkinson
Palestrante: Me. Marcela Delabary 
Mediadora: Mariana Wolffenbuttel

25 de novembro:
Tema: Pilates e Parkinson
Palestrante: Me. Alex de Oliveira Fagundes 
Mediadora: Maria Vitória


Espetáculo Dança dos Orixás - Cia de Dança Daniel Amaro

Será exibido ao vido pelo canal da Cia no YouTube, no dia 26/09/2020 às 18:30, A Dança dos Orixás.

Sobre: o espetáculo que mergulha no universo da dança dos orixás, resgatando o legado deixado aqui no extremo Sul do Brasil, a partir dos homens escravizados que para cá foram trazidos e submetidos ao trabalho forçado na indústria do Charque. O espetáculo conta com 7 bailarinos que representarão, através da dança, 7 orixás diferentes. Dessa forma, o projeto pretende valorizar a cultura africana e o legado que esse povo deixou em nossa terra. Pois, onde no passado houve sofrimento, hoje é espaço para aprendizado, reflexões e reconhecimento da cultura afro.


Conexão Urbana - New Way Estúdio de Dança

A New Way continua publicando seus workshops de danças urbanas gratuitos com o professor Allan Knecht, que podem ser acessados no Instagram do estúdio, projeto aprovado pelo FAC Digital RS.

10 práticas para tigres em quarentena - Coletivo Grupelho

O Coletivo grupelho convida para participar das "10 práticas para TIGRES em quarentena". Serão 10 vídeos inspirados em algum elemento de TIGER BALM // Experimento Cênico. Saem dois vídeos por semana: quartas e domingos. Serão postados no IGTV @coletivogrupelho.


Mu Ntûnda - Nave Gris Cia Cênica - Sesc SP

A Nave Gris Cia Cênica apresenta "Mu Ntûnda", obra criada especialmente para o Dança #EmCasaComSesc. Desenvolvido neste período de isolamento social causado pela pandemia, o trabalho interpretado por Kanzelumuka concebe a casa como um ventre que pode gerar e gestar novos futuros, assim como a potência do próprio corpo ao comportar outro corpo. Assista no YouTube.


Revista Re Dobra - CORPOCIDADE

Re Dobra é uma publicação que integra a plataforma de ações CORPOCIDADE, realizada a partir da parceria entre os grupos de pesquisa Laboratório Urbano (PPGAU/UFBA) e LABZAT (PPG-Dança/UFBA). Conheça a Revista e suas publicações no site. Sugerimos a leitura, na última edição de "Por uma descanonização dos modelos ocidentais modernos de corpo na arquitetura (na dobra com a dança)" de Clara Passaro, e "A invenção das dançarinas orientais" de Carolina Bracco.


Workshop de Rave - Hofesh Shechter Company - Sadler's Wells Theatre

Aprenda a coreografia da seção "Rave" da produção de dança da Hofesh Shechter Company, Grand Finale. Nesta cena, os dançarinos são encaixotados pelo set, e se conectam a uma sensação de estar em um clube e perder-se para a música.  Acesse no YouTube.


Dança para criança - Itaú Cultural

Em maio o Itaú Cultural passou a oferecer uma programação especial para o público infantil. Diariamente, às 11h, o instituto disponibiliza uma atividade para elas acompanharem em casa. As aulas são realizadas on-line, e os vídeos ficam disponíveis no site e no YouTube. A última aula foi da Janette Santiago, aquecendo através da água. Veja aqui e/ou ou acesse a playlist.

Tutoriais Vogue New Way com Dan Oliveira

Dan Oliveira é artista paraibano, formado em bacharelado em teatro pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Ator-dançarino. Bailarino profissional. Artista plástico e ilustrador. E publica em seu canal do YouTube uma sequência de aulas tutorias de Vogue New Way para você aprender em casa.