Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança é um órgão da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) da Prefeitura de Porto Alegre que articula as políticas públicas de dança na capital gaúcha. Atua na preservação da memória, no fomento à produção, na formação de público, difusão e acesso às informações da dança. Desenvolve atividades artístico-pedagógicas e promove relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na cidade de Porto Alegre.

29 de setembro de 2017

Programação de dança no mês de outubro nos teatros municipais

SOPROS 2017 – COMPANHIA H


Data: 29, 30 de Setembro e 1º de Outubro
Hora: 20h
Local: Sala Álvaro Moreyra
Duração do Espetáculo: 50 min
Ingressos: Entrada Franca

Oficina de Contempurbano:
Data: 01 de Outubro
Hora: 10h
Local: Sala Álvaro Moreyra

Ficha Técnica:
Direção e Coreografia: Ivan Motta
Ensaiadora: Rossana Scorza
Elenco:
Adriano Oliveira
Andressa Pereira
Letícia Paranhos
Roberto Volkmann
Mariano Neto
Samuel Rodrigues

Produção : Lucida Desenvolvimento Cultural/Luka Ibarra
Assistente geral: Carolina Mascia
Criação de Luz: Maurício Rosa
Trilha Sonora Pesquisada: André Birck
Edição/finalização Trilha Sonora: Sustain Produções
Fotografias: Natália Utz/Utz Filmes
Design Gráfico: Carolina Rosa/Saline Boom

Prêmio FUNARTE Klauss Vianna de 2015, o espetáculo de dança contemporânea neoclássica Sopros, da Companhia H, é fruto de uma pesquisa continuada de movimentação, coreografia e improvisação inspirada no conceito de ‘sopro’ em um sentido amplo, buscando uma fusão com elementos nativistas gaúchos, interpretado por bailarinos de formação heterogênea.


RECITAL RONY LEAL
Le Grand Pas de Deux Classique


Data: 01 de Outubro
Hora: 19h
Local: Teatro Renasçença
Duração do Espetáculo: 90 minutos

Ingressos:
R$50,00 - inteira
R$25,00 - meia entrada (idosos, estudantes e classe artística)
VENDA ONLINE - bit.ly/ingressoronyleal
Na bilheteria do teatro: 1h antes da apresentação

Ficha Técnica:
Curadoria: Rony Leal
Direção de Produção: Luka Ibarra
Produção: Débora Nunes
Operação de Som: Driko Oliveira
Operação de Luz: Guto Greca

Com 60 anos de carreira, Rony Leal continua uma figura atuante no meio da dança. Para celebrar sua trajetória e o ballet clássico, ele convida os mais renomados nomes clássicos de Porto Alegre para o espetáculo "Les Grand Pas de Deux Classique", composto somente por Grand Pas de Deux de renomadas obras de ballet de repertório. Será uma noite muitas trocas e participarão:

- Ballet Concerto
- Ballet Lenita Ruschel
- Ballet Redenção
- Ballet Studio Cris Fragoso
- Ballet da UFRGS
- Ballet Vera Bublitz
- Escola de Dança Aline Rosa
- Escola de Dança Kitty
- Estúdio de Dança Ângela Ferreira
- Karen Ibias Ballet
- Naira Nawroski Centro de Artes Integradas
- Suzana d Avila Studio de Dança


18 ANOS DE ANDANÇAS E CONVIDADOS


Data: 12 de Outubro
Hora: 20h
Local: Teatro Renascença
Duração do Espetáculo: 90 minutos
Ingressos: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia-entrada (idosos, estudantes e classe artística)

Ficha Técnica:
Diretor geral: Clóvis Rocha
Diretor Artístico: Claudia Dutra
Coreografia: Clóvis Rocha, Belize Leite, Ederson Dorneles
Luz: Karrah Luz
Som: Patrik Simões
Produção: Rosane Gaia

Espetáculo de dança com recortes de vários espetáculos do grupo, fazendo remontagem e contando um pouco da história do grupo acompanhado por grupos tais como: AFROSUL,CADIMA e SOLOVEY.


A DEUSA DA MINHA RUA


Data: 19 de Outubro
Hora: 18h e 21h
Local: Teatro Renascença
Faixa etária: livre
Duração do Espetáculo: 50 minutos
Ingressos: R$ 20,00 inteira e R$ 10,00 meia-entrada (idosos, estudantes e classe artística)

Ficha Técnica:
Direção Geral: Izabela Gavioli e Lélio Santos
Direção Coreográfica: Izabela Gavioli
Elenco: Camila Schlichting, Fernanda Varella, Fernanda Metzen, Gabriel Tochetto, Izabela Gavioli, Lélio Santos
Preparação corporal em gyrokinesis: Manuela Coimbra
Assessoria em aéreos, figurinos e direção teatral: Guilherme Gonçalves
Produção: Lucida Desenvolvimento Cultural
Iluminação: Guto Greca
Operação de som: Driko Oliveira
Figurinos: Grupo Laços
Trilha sonora pesquisada: Grupo Laços
Registro fotográfico: Claudio Etges
Registro em vídeo: Leonardo Ferreira

O Grupo LAÇOS apresenta seu segundo espetáculo: “A Deusa da Minha Rua”, inspirado nas cenas das serenatas e serestas do início do século XX, revitalizadas pela visão contemporânea do feminino.

“A Deusa da Minha Rua” parte da visão da mulher por um homem, com sentimentos que ultrapassam a admiração e o encanto, e chegam à adoração fervorosa. Avança com a visão da mulher sobre ela mesma, e do transgênero sobre o feminino em si mesmo. A mulher aqui traduzida é real, única, encantadora, sedutora, espirituosa.

As problematizações existem, mas o relevo é para a fluidez de sentimentos. A dança em pares está acompanhada pela dança aérea, pelo sapateado, pela dança minimalista e por movimentação tecnicamente autoral. A trilha pesquisada é uma esteira autobiográfica que vai das serestas da primeira metade do século XX ao brega, ao pop e ao cancioneiro latino. As cortinas coreográficas abrigam solos onde cada intérprete apresenta seu autorretrato ao som das trilhas escolhidas por seus pares - uma declaração de si mesma a partir dos sentidos de outrem. Os figurinos exacerbam o feminino e explicitam tabus corporais do gênero.

A Deusa da minha rua é a reverência à mulher na figura da filha, da amiga, da santa, da drag, da mulher que não precisa de outra definição, em sua simplicidade e complexidade.


QUER SABER QUANTO CUSTA A SAUDADE?


Data: 21 e 22 de outubro
Local: Teatro Renascença
Hora: 20h
Faixa etária: a partir dos 12 anos
Duração do Espetáculo: 60 minutos
Ingressos: R$ 30,00 inteira e R$ 15,00 meia-entrada (idosos, estudantes e classe artística)

Ficha Técnica:
Direção Geral: Rodrigo Garbin
Bailarinos: Adso Barcellos, Ana Carolina Vieira, Ana Julia Reyes, Anais Vargas, Catarina Reyes, Claudio Roberto Almeida, Daniel Castilho, Daniele Perceval, Débora Spier, Emanoelle Santos, Luana Bragatto, Luiza Perez, Marcos Pasqualeto, Matheus Alemeida, Matheus Espinoza, Matheus Malavolta, Pamela Santos, Paul Kevin Almeida, Tiago Rocha, Vinicius Martins.
Iluminação: Karrá
Sonorização: Patrik Simões

Espetáculo de Dança que traz, a partir da experiência pessoal dos bailarinos, histórias de alegrias, tristezas, amores, lições e arrependimentos.
Por coreografias de Jazz, Contemporâneo e Dança de Salão, o Espetáculo traduz em movimento sentimentos e histórias vividas pelo próprio elenco.


RETIRANTES: SOMOS TODOS SEVERINOS


Data: 26 de outubro
Local: Teatro Renascença
Horário: 20h
Ingressos:
Inteira R$ 30
Promocional: R$15 + alimento não perecível.
Meia-entrada: R$15 (idosos, estudantes e classe artística)
Ingressos à venda com os integrantes da Cia.
Obs: Os alimentos serão destinados a Casa do Artista Riograndense.

Ficha Técnica:
Direção Geral e Coreográfica: Carlos Neto
Assistente de Direção: Jade Correa
Produção: Tiago R. Souza, Ana Paula Teixeira e Anna Luísa Noll
Elenco: Bibiana Lopez, Carlos Neto, Jade Correa, Matheus Barbosa, Matheus de Almeida, Thainá Zanatta.
Cenografia: Jade Corrêa
Técnico de Som/Iluminação: Patrik Simões
Trilha sonora: Carlos Neto e Jade Corrêa
Figurino: Jade Corrêa
Filmagem/Desing gráfico: Vini Oliveira / CoProdutora
Fotografia: Nando Espinosa Fotografia
Maquiadora: Jéssica Rodrigues
Arte Programa: Pedro Dharma
Apoio: No Palco

"Retirantes: Somos todos Severinos" é um projeto verdadeiramente plural por importar elementos tradicionais das Danças Urbanas (mescladas à Dança Contemporânea e Experimental) para a representação de uma cultura essencialmente brasileira como é a nordestina.
Embalado a tons como os de RAPadura Xique-Chico, Cordel do Fogo Encantado e Quinteto Armorial, no extremo sul do país o espetáculo remontará o caminho da intensa migração nordestina em busca de melhores condições de vida. Desde a recatada mulher até o viril cangaceiro, todos são igualmente atingidos pelas dificuldades em sobreviver na escassez de suas terras. Seja pela seca ou pela pobreza, a falta de recursos define o cotidiano de todos e perante este sofrimento todos tornam-se iguais: retirantes, nordestinos, Severinos. Não há outra saída senão abandonar seus lares e famílias em busca de uma vida melhor. Essas estórias e causos que se repetem na trajetória da cidade grande compõe a identidade e o imaginário nordestino – sendo, portanto, também o que compõe o enredo de "RETIRANTES: Somos todos Severinos".

Nenhum comentário:

Postar um comentário