Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança é um órgão da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) da Prefeitura de Porto Alegre que articula as políticas públicas de dança na capital gaúcha. Atua na preservação da memória, no fomento à produção, na formação de público, difusão e acesso às informações da dança. Desenvolve atividades artístico-pedagógicas e promove relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na cidade de Porto Alegre.

PROJETOS DO CENTRO DE DANÇA

PUBLICAÇÕES DO CENTRO DE DANÇA

PRÊMIO AÇORIANOS DE DANÇA - REGULAMENTO

11 de agosto de 2020

Destaque em Flamenco - Açorianos 2019

Hoje temos mais uma postagem da série com as trajetórias das indicadas e indicados ao Prêmio Açorianos de Dança 2019 e saberemos mais sobre as indicações a Destaque em Sapateado

Começamos lembrando as considerações feitas pelas juradas Ana Laura Freitas e Ana Rita Conter:

  • Ana Medeiros – pelo trabalho continuado de expansão dos domínios da cena flamenca em Porto Alegre, especialmente através do CD “Carmen & os Violões”, ao lado da camerata Violões de Porto, no qual se fez o registro sonoro da dança, não só no sapateado e nas castanholas, como até no som do movimento da bata de cola, do abanico e do mantón.
  • Del Puerto – pelos 20 anos de um projeto que concilia o trabalho de excelência da companhia, de reconhecimento nacional, ao da escola, que estimula o gosto pelo flamenco e forma novos bailarinos, o que se evidenciou no espetáculo comemorativo do final do ano. E, paralelamente, pela produção do primeiro espetáculo solo de Gabriel Matias e da vinda do projeto Inmersión Flamenco.
  • Marco van Teffelen – por sinalizar a possibilidade inovadora da bata de cola ser praticada por homens na cena local.
  • Silvia Canarim – pela sólida trajetória dedicada ao flamenco em Porto Alegre, investigando a história dessa linguagem e explorando as nuances possíveis de seu encontro com a dança contemporânea, registrada no marcante Espetáculo de 25 anos, que reuniu com intensidade emocional e artística parceiros de diferentes épocas.

Aqui abaixo saiba um pouco mais sobre as trajetórias de cada:


Ana Medeiros

Ana Medeiros, La Negra, é bailarina de flamenco e percussionista. Dedica-se ao estudo e ensino de castanhola e dança flamenca há mais de 20 anos, ministrando aulas regulares, oficinas e cursos intensivos em todo Brasil e na Espanha. Recebeu várias premiações, entre elas, a de Melhor Bailarina no Prêmio Açorianos de Dança 2012, e a de Destaque Flamenco no Prêmio Açorianos de Dança 2017. Também foi agraciada com bolsa de estudos no "II Ciclo dedicado a la formación completa del baile flamenco", em Madri. Ao longo de sua trajetória, desenvolveu método pioneiro no toque e arranjo musical da castanhola, aliando a prática como bailarina à utilização como instrumento solista.


foto Nando Espinosa


Del Puerto

A trajetória da Del Puerto começa em março de 1999 com a criação da Escola de Flamenco Andrea Del Puerto, idealizada pela bailarina e coreógrafa Andrea Del Puerto, falecida em 2007. A Escola e Companhia de Flamenco Del Puerto, como é oficialmente conhecida a partir de 2008, dividem a mesma sede e equipe, porém com gestão distintas, qualificando cada um dos seus segmentos: o centro de ensino e difusão da arte flamenca com aulas regulares, cursos intensivos, workshops nacionais e internacionais, e a Companhia de dança e música flamenca, com repertório continuado e constante pesquisa da linguagem. Atualmente a Del Puerto, capitaneada por Daniele Zill e Juliana Prestes, conta com uma equipe organizada de maneira autogestionária e coletiva.

Nesses 21 anos de atividades ininterruptas já apresentou mais de 30 espetáculos e projetos, ministrou mais de 50 mil horas de aulas em todo o território brasileiro, seus artistas já levaram o nome Del Puerto para diversos países do mundo e é imensurável a quantidade de público que assistiu o 'seu flamenco'. Entre os muitos prêmios recebidos destacam-se: Prêmio Quero Quero/Sated 2006, Prêmios Açorianos de Dança 2008, 2012, 2014, 2016, Prêmio Nacional de Dança Funarte Klauss Viana 2013, Prêmio de Incentivo às Artes Cênicas do Teatro de Arena de Porto Alegre 2015, Prêmios Tibicuera de Teatro Infanto-Juvenil 2016 e Prêmio FAC/RS #juntospelacultura 2018.


foto Feijão (studio Feijão e Lentilha)


Marco van Teffelen

Marco Van Teffelen é bailarino da Cadica Cia de Dança, desde 2012. É Licenciado em Educação Física pela Universidade Luterana do Brasil e realiza estudos de flamenco no Centro de Formação LaNegra. Na Cadica Danças e Ritmos, desde 2009, ingressou em turmas de formação em Ballet Adulto e Flamenco. Marco participou de festivais internacionais de folclore e esteve por diversos países levando a cultura gaúcha. Entre eles, festivais na China, Rússia, Chile e Turquia. Em 2019, iniciou os estudos de bata de cola com a professora Ana Medeiros, subindo aos palcos no mesmo ano nos espetáculos Pulsar, da Cadica Cia de Dança, que ganhou turnê pelo Rio Grande do Sul, no início de março, deste ano, e Sin Raízes no Ay Alas (2019), da LaNegra.


foto Claudio Etges

Silvia Canarim

Sílvia Canarim é bailarina, coreógrafa, pesquisadora e professora de dança flamenca. Dedica-se ao flamenco profissional há 27 anos. É mestre em Artes Cênicas pela UFRGS e especialista em Dança pela PUC-RS. De 2008 a 2010, viveu em Sevilha para realizar sua formação em “Estudios Avanzados en Flamenco” do Programa de Doutorado da Universidade de Sevilla. Sua pesquisa baseou-se no flamenco contemporâneo tendo como objeto de estudo a obra do bailaor e coreógrafo Israel Galván, a quem acompanhou nesse período. É uma das pioneiras da vertente contemporânea do gênero artístico no país. Diretora da Cia Silvia Canarim - Flamenco e Contemporaneidade.


Nenhum comentário:

Postar um comentário