Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) articula as ações de dança de Porto Alegre, por meio da preservação da memória, do fomento à produção, formação de público, difusão e acesso às informações, atividades artístico-pedagógicas e constituição das relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na capital .


Bem Vindo!!!

30 de abril de 2014

PROGRAMAÇÃO DE FINAL DE SEMANA

 Companhia H apresenta
SOPROS

Ingresos: 20,00 com 50 % desconto para classe artística, estudantes e idosos

SINOPSE:
Espetáculo elaborado a partir da colaboração dos artistas convidados pela Cia H para integrar o projeto ''SOPROS'', está construído sobre uma trilha de inspiração nativista. O sentido de ''sopro'' aqui é visto como a instigação, influência e força que pode mover aquele que está ao seu lado.

COREÓGRAFO:
Ivan Motta

BAILARINOS:
Ana Claudia Pedone, Cauan Feversani, Dante Saldanha, Leticia Paranhos, Mariano Neto, Roberto Volkmann, William Freitas
Participação especial: Karen Volkmann

TRILHA SONORA
SOBRE A TRILHA SONORA :

O estilo musical gauchesco mostra, entre as suas origens, forte tradição na música portuguesa. A trilha sonora foi elaborada de forma a contrastar a tradição portuguesa com suas violas e a gaúcha com seu descendente contemporâneo, o violão. E aqui apresenta-se acompanhado da ''gaita ponto'', mesclando o tradicional a outras influências como o jazz.


Companhia Terpsí Teatro de Dança apresenta
CASA DAS ESPECIARIAS


Espetáculo da Cia. Terpsí Teatro de Dança, Casa das Especiarias que foi contemplado pelo Prêmio FUNARTE de Dança Klauss Vianna 2010 para a montagem inicial e estreou no Museu do Trabalho em 2011, reestreia na Sala Álvaro Moreyra, do Centro Municipal de Cultura, em Porto Alegre, dias 2, 3 e 4 de maio de 2014.

Prêmio ESPECIAL BRASKEM de melhor cenário, assinado pelo bailarino da Terpsí, Raul Voges, em 2013 Casa das Especiarias integrou às programações do 20º Porto Alegre em Cena, do Projeto Cultural Quartas no Lyceu, a convite do Módulo Artes Cênicas da Universidade Federal de Pelotas, e foi apresentada no Festival Internacional Dança Ponto Com, ocasião na qual a Cia. Terpsí Teatro de Dança foi homenageada pelos seus 26 anos de trajetória.

Casa das Especiarias, a mais recente obra da Cia. Terpsí Teatro de Dança é um convite ao prazer, um lugar onde o público visitante é instigado a envolver-se em experimentações despertadas, inicialmente pelo olfato e paladar. Um espaço “casa” repleto de cheiros, sabores, amores e dores. Um lugar de visitas.
Ao se apropriar do espaço, a obra traz, além do seu aspecto acolhedor e provocador de lembranças, uma mistura de linguagens, onde dança, música e imagens se unem. “A obra emerge justamente dessa interação simultânea entre o real e o virtual, provocadores de muitas imagens”, diz Carlota Albuquerque, que além de assinar a concepção e a direção do espetáculo é diretora da Cia. Terpsí Teatro de Dança desde a fundação, há 27 anos.

Sobre Casa das Especiarias,  disse a bailarina e professora assistente dos cursos de dança da UFRJ, Luciane Coccaro: “..Nós, a plateia boquiaberta, vai assistindo a uma metamorfose dos corpos que vão virando a comida que precisamos para viver. Penso no Kafka, no conto Um Artista da fome , metáfora do artista faminto em busca do alimento que nunca vai saciá-lo, pois ele estaria esfomeado pela arte”.

Ficha técnica
Direção e concepção: Carlota Albuquerque/Assistente de direção: Angela Spiazzi/ Intérpretes co-criadores-elenco: Angela Spiazzi, Raul Voges, Francine Pressi, Gelson Farias, Edson Ferraz e Natália Karam/ Trilha sonora original: Vagner Cunha/ Trilha sonora pesquisada: Carlota Albuquerque/ Edição e mixagem trilha pesquisada: Murilo Assenato/ Iluminação: Guto Grecca/ Cenário: Raul Voges e Terpsí Teatro de Dança/ Cenotécnico: Paulinho Pereira/ Figurino: Anderson de Souza/ Interferências visuais: Darjá Cardozo/ Equipe de Produção: Cia. Terpsí Teatro de Dança e S.O.S Daughters (Anita & Clara)/ Produção VT: Pátio Vazio/ Produção Spot: Eáudio Produtora/Criação de Imagens e Fotos: Cláudio Etges/Organização de Projetos: Francine Pressi.

Carlota Albuquerque - Diretora e coreógrafa
Diretora e Coreógrafa da Cia Terpsí Teatro de Dança desde 1987 – Porto Alegre/RS. Cursou Psicologia durante cinco anos na PUC-RS (incompleto). Graduada em Dança com Formação Clássica na Escola João Luiz Rolla com certificação da Secretaria Municipal de Educação de Porto Alegre. Fez curso de aperfeiçoamento na Ecolle BESSO de Danse Classique em Toulouse – França. Participou como convidada do encontro “A Arte de Estudantes Estrangeiros”, Toulouse – França. Foi professora de dança voluntária, na base de cooperação do governo Francês em Ouagadougou, na África, ministrando aulas de dança para crianças. Foi co-fundadora e bailarina de Terra Cia. de Dança do Rio Grande do Sul (1982-1984). Professora da Fundação de Artes de Montenegro-Fundarte (1883-1988). Diretora do Centro de Estudos Coreográficos da Terpsí Teatro de Dança (CEC-TERPSÍ). Ministra cursos e oficinas sobre dança contemporânea e criação em dança em universidades como Unicamp, USP entre outras.

Terpsí - Teatro de Dança
É uma companhia de Dança Contemporânea, de Porto Alegre/RS/Brasil, criada em 1987 pela união de alguns artistas gaúchos. Sua trajetória tem sido dedicada à pesquisa de uma linguagem, que resgata a s experiências humanas e rompe a barreira que separa os intérpretes da obra, pois eles são a obra. Tendo, seus processos e resultados identificados muitas vezes como dança teatral. Como observa o pesquisador e performer na área de dança Wagner Ferraz, “Terpsí segue uma linha que busca ultrapassar estéticas formatadas, não reproduzindo códigos de certos meios (da dança e do teatro), mas utilizando informações vindas do teatro e da dança resignificadas em cada trabalho”. Nos seus 27 anos de trabalho bem caracterizado em sua maturidade cênica e profissionalismo, está sempre em fase de reinvenção e reconstrução.
Ao longo de sua trajetória, acumulou prêmios e reconhecimentos, sendo considerada pela crítica especializada do centro do país como “uma renovadora da dança brasileira”. Foi uma das duas companhias a representar o Brasil no Carlton Dance Festival em 1990, ao lado de companhias como Nikolais and Murrais Louis e Thanztheater Wuppertal de Pina Bausch.

Nenhum comentário:

Postar um comentário