Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança é um órgão da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) da Prefeitura de Porto Alegre que articula as políticas públicas de dança na capital gaúcha. Atua na preservação da memória, no fomento à produção, na formação de público, difusão e acesso às informações da dança. Desenvolve atividades artístico-pedagógicas e promove relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na cidade de Porto Alegre.


Bem Vindo!!!

29 de novembro de 2010

Grupo Experimental estreia duas novas montagens no próximo fim de semana




Como resultado do trabalho de formação de criadores e intérpretes de dança, o Grupo Experimental de Dança da Cidade produziu o espetáculo infantil Faz de conta que e a performance Pulp Dances. As montagens fazem únicas apresentações nos dias 4 e 5 de dezembro, respectivamente às 16 e 21h, no Teatro Renascença, com entrada franca. A realização é do Centro Municipal de Dança, da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre. Informações 32898065 – centrodedanca@smc.prefpoa.com.br .

A primeira encenação para o público infantil, Faz de conta que, investe na invenção e no imaginário para construir um espetáculo recheado de humor e poesia. No palco um grupo de bailarinos que tenta enfrentar o desafio de fazer dança para crianças, tentando escapar de clichês, investindo na aventura de redescobrir como brincar com movimentos e imagens. A direção é de Airton Tomazzoni.
Pulp Dances mergulha no universo do cineasta americano Quentin Tarantino, autor de filmes como Cães de Aluguel, Kill Bill e Pulp Fiction. A proposta foi de resgatar o universo “pulp”, adjetivo usado para designar a literatura de qualidade duvidosa e com enredos considerados absurdos, destinados ao entretenimento rápido. Assim, as coreografias revisitam personagens, situações e referências, presentes na obra cinematográfica de Tarantino, não para “ilustrar” em dança, mas para jogar e reinventar sentidos coreográficos para os elementos recorrentes como violência, vingança, solidão, ironia, injustiça, coragem, medo e sarcasmo.
Participam das montagens 18 bailarinos e bailarinas que desde abril freqüentam as aulas do projeto do Grupo Experimental de Dança. O programa de aulas é diário, de segundas a sextas, pelas manhãs e incluíram aulas de dança moderna, dança contemporânea, ballet, Axis Sillabys, Sistema Laban/Bartenieff, bem como laboratórios de criação, seminários teóricos e sessões de vídeos comentadas. No corpo docente, participaram consagrados professores como Eva Schul, Alexandre Rittman, Didi Pedone, Andréa Spolaor, Bia Diamante, bem como ex-alunos do próprio Grupo que retornaram de sua formação no exterior, como Douglas Jung e Juliana Vicari.
O projeto do Grupo Experimental de Dança teve início em 2007 e mais de cem alunos já passaram pelo programa. No primeiro ano, os alunos criaram o exitoso espetáculo Follias Fellinianas. Em 2008, duas novas produções estiveram nos palcos: Eu me faço simples por você e Ou algo assim que me intrigue. “O projeto vem atingindo seus objetivos e fomentando a prática diária em dança, uma formação integrada e a vivência no palco como intérpretes” destaca o diretor do Centro de Dança e idealizador do projeto, Airton Tomazzoni. Segundo ele, muitos alunos oriundos do projeto têm integrado o elenco de outras companhias da cidade, criado seus próprios trabalhos coreográficos ou dando continuidade à sua formação em escolas de dança na Áustria e Alemanha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário