Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança é um órgão da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) da Prefeitura de Porto Alegre que articula as políticas públicas de dança na capital gaúcha. Atua na preservação da memória, no fomento à produção, na formação de público, difusão e acesso às informações da dança. Desenvolve atividades artístico-pedagógicas e promove relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na cidade de Porto Alegre.

21 de julho de 2020

Destaque em Dança de Salão - Prêmio Açorianos de Dança 2019

Se não podemos bailar emboladinhos, podemos relembrar várias iniciativas que colocaram todo mundo prá dançar pela cidade em 2019. Hoje é dia de saber um pouco mais sobre as indicações a Destaque em Dança de Salão, no Prêmio Açorianos de Dança 2019.

Aqui as indicações com as considerações das juradas Katiusca Dickow e Luciana Coronel:
  • Caroline Wüppel – pela experimentação e difusão da pesquisa da corporeidade, musicalidade e liberdade em gêneros afro-latinos. 
  • Eduardo Santacruz – pela produção de eventos de Bachata e Forró, envolvendo aulas e shows com artistas nacionais e internacionais, levando a Dança de Salão a ocupar espaços de grande visibilidade em Porto Alegre e pela manutenção de festas, oportunizando a prática regular da dança social.
  • Forró de Rua – pelo empenho do projeto – idealizado por Giziane Almeida e realizado de maneira coletiva – em democratizar e dar visibilidade ao Forró por meio da produção de eventos públicos.
  • Martha Royer – pela dedicação ao desenvolvimento de práticas pedagógicas relacionadas à desconstrução de gênero na Zathus Espaço de Dança, estimulando o desenvolvimento de novas percepções da dança e das relações sociais. Pela visibilidade nacional alcançada, promovendo o intercâmbio dessas práticas.
  • Zouk na Rua – pela iniciativa em levar o Zouk para espaços públicos, promovendo a aproximação e despertando o interesse da população por este gênero.

E aqui um pouco mais da história de cada:

foto Claudio Etges

Caroline Wüppel

Professora-pesquisadora, artista e aprendiz de percussão, Caroline Wüppel desenvolve sua didática de ensino da Salsa como modalidade de dança individual desde 2016, construindo uma abordagem contemporânea, experimental e emancipatória através da Timba Cubana e da mais recente proposta de Salsa Libre. Há 7 anos vem buscando suprir a falta de pesquisas sobre a corporeidade cubana em Porto Alegre. Neste processo se deparou com as diversas danças populares de Cuba e, invariavelmente, com suas raízes negras. Propõe ressignificar a Salsa enquanto cultura popular e, a partir dessa perspectiva, resgata e integra em si e no outro diversos saberes do corpo, da história e da música afrocubana.

foto Telma Lambert

Eduardo Santacruz

Eduardo Santacruz é natural de Lima-Peru e vive no Brasil desde 1997. É produtor de shows e eventos, além de idealizador do Bachata Clube (Clube Brasileiro de Bachata) e do movimento Bachata Porto Alegre. Em 2018, trouxe para a cidade o primeiro show de Bachata ao vivo no Brasil, com o premiado cantor dominicano Daniel Santacruz. Em 2019, foi a vez dos famosos dançarinos da Europa Marco & Sara e Luis & Andrea, as tradicionais bandas de forró os “Os 3 do Nordeste” e o “Trio Potiguá”, entre outros. Neste período de pandemia organiza o evento on-line “Bachata Solidária” e, para 2021, estreia o Festival de Ritmos Latinos, com destaque para os mestres Carlinhos de Jesus e Jaime Arôxa (pela primeira vez, juntos, na capital do RS).


Forró de Rua

O Forró de Rua tem como objetivo difundir e promover a cultura do forró pé de serra na cidade de Porto Alegre por meio de produção de eventos públicos. O projeto é organizado e realizado por uma equipe de diretoria (André Oliveira, Fabiana Trifilio, Giziane Almeida, Juliana Trifilio, Maicon Paquetá e Sophia Kath) que é apaixonada pelo forró e que se dedica à  organização dos eventos, arrecadação de fundos e iniciativas de comunicação para dar visibilidade ao forró em nossa cidade. O coletivo existe desde 2018 e foi idealizado pela forrozeira Giziane Almeida. Hoje envolve diversas pessoas, professores, espaços e projetos de forró que auxiliam na manutenção das ações. Os encontros geralmente acontecem nos finais de semana, tendo como ponto principal a orla do Guaíba, mas também outros pontos turísticos e de lazer da cidade. Além disso, o Forró de Rua também participa de outros projetos e eventos como convidado.

foto Bruno Menezes

Martha Royer

 Iniciou sua trajetória nas Danças de Salão em 2006. Logo focou seus estudos no Zouk Brasileiro. Depois da Graduação em Educação Física e da Especialização em Dança, foi buscando novos caminhos de interpretação e didática. Investiga uma nova linguagem de intervenção desde 2017. Hoje é proprietária e diretora da Zathus espaço de dança na capital, onde trabalha com uma proposta inovadora para o ensino das Danças a Dois na região. Com uma abordagem contemporânea e igualitária busca transformar e trazer visibilidade para esse novo cenário da Dança de Salão.

foto Bruno Menezes

Zouk na Rua

O Zouk na Rua é um projeto sem fins lucrativos criado em março de 2019 e que promove eventos gratuitos em espaços públicos com o objetivo de popularizar o zouk brasileiro e de conscientizar a sociedade sobre essa dança ser parte da nossa cultura. Dirigido por Caio Vedovatto Del Pino e frequentado por profissionais do zouk e a comunidade em geral, o Zouk na Rua realiza reflexões, através das diferentes temáticas dos seus eventos, sobre a valorização da música; o reconhecimento de professores e DJs e o acesso universal à dança.




Nenhum comentário:

Postar um comentário