Centro Municipal de Dança


Centro Municipal de Dança é um órgão da Secretaria Municipal da Cultura (SMC) da Prefeitura de Porto Alegre que articula as políticas públicas de dança na capital gaúcha. Atua na preservação da memória, no fomento à produção, na formação de público, difusão e acesso às informações da dança. Desenvolve atividades artístico-pedagógicas e promove relações com a produção em dança estadual, nacional, e internacional. O objetivo é valorizar os profissionais, promover a produção e o desenvolvimento da arte da dança, tornando-se um espaço de referência para a área na cidade de Porto Alegre.

16 de julho de 2020

Destaque em Sapateado - Prêmio Açorianos de Dança 2019

Hoje é dia de sabermos mais sobre os indicados a Destaque em Sapateado no Prêmio Açorianos de Dança 2019.

Começamos lembrando as indicações com as considerações feitas pelas juradas Gabriela Santos e Omara Lange:

  • Heloísa Bertoli – pela trajetória no Sapateado no qual é uma das pioneiras, por sua colaboração na formação de bailarinos e pela atuação continuada como profissional no universo da Dança.
  • “Hoje tem espetáculo” – da Cia Claquê – pela cenografia criativa na articulação de diferentes elementos cenográficos que valorizaram a apresentação.
  • Ilha, pesquisa em TAP – pela proposta de difusão e popularização do TAP em novas mídias, pelo resgate da memória e por levar o Sapateado para espaços alternativos.
  • Mulher de Fases – coreografia do espetáculo “A Deusa da Minha Rua – Outras Deusas”, do grupo Laços - pela fusão do sapateado com a dança contemporânea e por trazer uma temática atual que enfoca o universo feminino.
  • Tap Hour – por congregar diversas escolas e divulgar o TAP em um evento descontraído e acessível ao público.

Aqui um pouco mais sobre cada uma das indicações:

foto Sheyenne Trivizani

Heloísa Bertoli

Professora e coreógrafa de Sapateado Americano. Assistente no Rio Grande do Sul do Método Marchina de São Paulo, desde 1996. Produtora do "TAP SUL – Encontro de Sapateado Americano no Sul do País" (2000 e 2001) e do "Projeto DANÇARS - A Dança no Rio Grande do Sul" (de 1992 a 2002). Coordenadora do "Projeto SAPATEANDO EM PORTO ALEGRE" (de 2009 a 2013). Prêmio Açorianos de "Melhor Coreografia" e Troféu RBS Cultura de "Melhor Espetáculo"/05. Indicada "Coreógrafa Revelação" no Festival de Dança de Joinville/06. E Special Award de Melhor Trabalho Coreográfico em Barcelona, na Espanha/08. Produtora, diretora e coreógrafa do Espetáculo de Sapateado Americano "ROTINOIA - O MUSICAL"

“Hoje tem espetáculo” - Cia Claquê

“Hoje tem espetáculo” é a encenação indicada da Cia Claquê, primeira companhia de sapateado americano a ser fundada no Rio Grande do Sul e que tem como diretora a professora, coreógrafa, cenógrafa, figurinista e produtora cultural Glenda Duarte. A Cia iniciou seus trabalhos no ano de 2006, como o antigo “Grupo Étoile”. Seu repertório conta com espetáculos autorais, como “Tabuleiro aos Cubos”, “PéSsoa”, “O Verso do Avesso” e o espetáculo infantil “Hoje tem Espetáculo”. Faz parte do show Guri de Uruguaiana 2: A missão. Atualmente tem um projeto de espetáculo online com a participação do coreógrafo Leandro Netto.


arte Laura Dias Fagundes


ILHA - Pesquisa em Tap


O projeto ILHA - Pesquisa em Tap foi criado pelo sapateador Leo Dias, de Porto Alegre, no ano de 2018, com o propósito de pesquisar, criar e divulgar conhecimento sobre sapateado americano em língua portuguesa, enfocando em especial (mas não exclusivamente) a produção de sapateadores brasileiros. Tem como um de seus principais projetos o podcast A Voz Dos Pés, cuja primeira série de episódios aborda, através de entrevistas, a história do sapateado no Rio Grande do Sul.

foto Claudio Etges

Mulher de Fases - “A Deusa da Minha Rua – Outras Deusas” - grupo Laços


A coreografia Mulher de Fases, gerada das linguagens do sapateado americano e da dança minimalista, integra o espetáculo “A Deusa da Minha Rua – Outras Deusas”, do grupo Laços, grupo de pesquisa em dança fundado em 2007. Hoje ele é uma ação de Extensão da UFRGS dirigida à formação de profissionais da dança que acredita no hibridismo como forma de expressão artística, acolhendo todas as bagagens e influências trazidas por seus integrantes.

foto Rafael Matos

Tap Hour


O projeto, apoiado em suas duas edições (2018 e 2019) pelo Centro de Dança da SMC, tem por objetivo celebrar o Dia Internacional do Sapateado em um ambiente que diz respeito à sua historicidade: A rua. É um encontro ao ar livre, democrático e acessível a todxs, em frente ao Centro Municipal de Cultura, onde sapateadoras e sapateadores de diversos centros de formação da cidade fazem aulas, apresentam seus trabalhos, "brincam" de improvisar e desfrutam de uma das mais belas características do sapateado americano: a capacidade de agregar. Tudo isso acompanhado das delícias locais: churros, quentão, pipoca e outros comes e bebes, trazidos pelos comerciantes locais que vêm agregar seu trabalho à festa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário